segunda-feira, março 13, 2006

Hoje, NO DN

O que contam as imagens
José Carlos Abrantes

Desta breve análise pode verificar-se o grande peso dos assuntos da sociedade (12 destaques) e a perda de peso da política (nacional), no mês de Fevereiro, em que apenas duas vezes foram acompanhados com a maior imagem.

Que imagens em destaque colocou o Diário da Notícias, em primeira página, no mês de Fevereiro? Que nos contam essas imagens? Quem representaram? Para esta breve reflexão considerei imagem em destaque a de maiores dimensões e agrupei nalgumas categorias os temas dessas imagens.

Apito Dourado Uma caricatura de Valentim Loureiro serviu de trampolim para um caderno especial na ocasião em que foi conhecido o despacho de pronúncia.

Belmiro e Paulo Azevedo Uma OPA à PT justifica um destaque de primeira página. Aparece uma imagem dentro de outra imagem: um ecrã gigante de vídeo dentro da fotografia. São “milagres” das imagens que conseguem, frequentemente, “meter o Rossio na rua da Betesga”.

Benfica Foi o clube em destaque, no mês. Duas fotos, uma do golo da vitória contra o Porto, vendo-se Baía, traído por um ressalto. Noutra festeja-se o golo contra o Liverpool, na Luz. A PT também está presente, na camisola.

Corpos Mais de cem corpos ficam ao abandono, cada ano, à espera de funeral. É impossível não associar esta imagem a um título de outra notícia que a encima “Gripe das aves chega à CEE”.
Outra parte de um corpo, uma mão de criança, ilustra um destaque sobre as crianças em risco.
Numa terceira imagem outra mão de criança pousa na boca de um rosto de mulher mostrando a negritude, o sofrimento e o silêncio.

Capas Duas capas da revista 6ª, a revista do DN que sai às sextas, foram destaque, com temas de cultura: António Lobo Antunes e o recente filme de Ang Lee.

Deficientes São lembrados duas vezes. Uma com uma imagem que ilustra o título “revolucionar a integração de deficientes”. Outra, menos perceptível, ilustra o tabu da sexualidade de pessoas com deficiência mental.

Gripe das aves Um técnico do Instituto de Conservação da Natureza, sorridente, examina uma ave. Dias antes, dois polícias sanitários trajados de amarelo, com capuzes, luvas brancas e máscaras brancas punham cisnes mortos na costa do Adriático num saco.

Idosos Dois tiveram destaque de imagem. O “avô Metralha”, pequeno delinquente, fotografado no exterior do Tribunal da Comarca de Sintra. No outro, uma idosa ilustra “a vida prisioneira de quem vive alto de mais.”

Jovens Aparecem duas vezes e interligadas. Num dia, são jovens transportados numa viatura por suspeita de terem cometido um assassinato em grupo. No outro, jovens participam numa vigília por causa desse crime, vendo-se um cartaz onde se lê “de onde vem tanto ódio”.

Lá fora Uma mulher, só, parece bater-se contra dezenas de polícias no desmantelamento do colonato de Amona. Noutro dia aparecem as ruínas do templo de Samarra, depois de mais um atentado, no Iraque. A repercussão das caricaturas de Maomé é outro tema muito destacado. Aparecem então fumos negros, manifestantes, chamas, símbolos a arder, caracteres árabes. Três vezes.

Ministro Um só, num mês: Correia de Campos, Ministro da Saúde é entrevistado no dia 3.

Multidões A maior esteve na praia de Copacabana para ver os Rolling Stones. Bem mais pequena, a de Fátima, acenou com lenços brancos na trasladação dos restos mortais de irmã Lúcia.

Pirataria Os piratas estão agora, em terra firme a produzir CD e DVD que alimentam a economia paralela.

Presidente da República Duas imagens com Jorge Sampaio fizeram destaque. Numa, entrega uma condecoração a Bill Gates, com a colaboração de Nuno Bragança, seu ajudante de campo. Na outra, troca saudações com Xanana Gusmão, na sua última vista ao estrangeiro.

Desta breve análise pode verificar-se o grande peso dos assuntos da sociedade (12 destaques) e a perda de peso da política (nacional), no mês de Fevereiro, em que apenas duas vezes foram acompanhados com a maior imagem. O segundo tema foi o internacional (5 vezes). O desporto com apenas duas menções ombreia com as artes embora estas tenham também aparecido associadas à revista das sextas mais duas vezes.
Importa referir que a primeira página tem quase sempre duas notícias de maior destaque, uma com e outra sem imagem, mas com títulos normalmente mais carregados ou espaço ocupado mais extenso. A brevidade desta análise mostra que outras serão necessárias, no futuro, olhando nomeadamente para o conjunto da página onde se juntam notícias, promoções e publicidade.

BLOCO NOTAS

Mudanças na imprensa
Há leitores do DN atentos aos novos tempos que a imprensa vive em todo o mundo. Dois exemplos: o leitor Jaime Branco pergunta: “por que razão, no final das notícias, na edição on line, não há um pequeno espaço para "Comentário" das mesmas? Sei que dentro do próprio jornal existem vários opinantes, se calhar até já um pouco ouvidos, lidos e vistos (rádios, jornais e televisões), mas... a população em geral será assim tão canhestra que não possa dar uma opinião, de quando em vez?”
Dias depois, outra leitora, Alexandra Viegas Abreu escreveu sugerindo também a existência de um espaço de comentário dos leitores: “Relativamente à notícia sobre a lista dos fundamentais que envolve a Dra. Graça Freitas na ‘gestão’ do stock de anti-virais a atribuir aos portugueses e que, pela sua insensatez merece um comentário por parte dos cidadãos, sugeria ao DN ser dada a oportunidade de essa notícia ser comentada (on-line ou mesmo algures
na versão impressa).” E a leitora acrescenta um comentário ironizando sobre a diferença entre os cidadãos “fundamentais” e os cidadãos que designa de “descartáveis”.
É certo que o comentário na edição imprensa pode ser feito quer em correio ao provedor, se tratar de questões jornalísticas, quer com cartas ou e-mails para publicação na Tribuna Livre ou mesmo artigos espontâneos. Mas o comentário on line terá que ser previsto na remodelação do site, remodelação que se aguarda pacientemente, mas com forte expectativa. Deste correio dei conta atempadamente ao director do DN pois não cabe ao provedor decidir sobre tais questões.
Fazer jornais diferenciados bi-media (um formato papel, outro electrónico) é um desafio para a imprensa. Visivelmente os leitores do DN estão disponíveis para participar no desafio.

Lá fora
Este conceito de jornal bi-media está, por exemplo, a ser trabalhado pelo jornal francês Libération. Serge July, seu director, em entrevista ao Le Monde (sábado 11 de Março) defende que a redacção web e papel sejam uma única como diz ter já ocorrido no Financial Times e no The Guardian.

Escreva
Escreva sobre a informação do DN para provedor2006@dn.pt: “A principal missão do provedor dos leitores consiste em atender as reclamações, dúvidas e sugestões dos leitores e em proceder à análise regular do jornal, formulando críticas e recomendações. O provedor exercerá, simultaneamente, de uma forma genérica, a crítica do funcionamento e do discurso dos media.”
Do Estatuto do Provedor dos Leitores do DN
Para outros assuntos : dnot@dn.pt

2 Comments:

Blogger miguelmartinezdevesa said...

MIGUEL MARTINEZ DEVESA
MILAGRO 11-VALENCIA-46003-ESPAÑA
PRUEBA

11:12 da manhã  
Blogger miguelmartinezdevesa said...

MIGUEL MARTINEZ DEVESA
MILAGRO 11-VALENCIA-46003-ESPAÑA

ES "TRISTE". QUE RECURRA AL FUTBOL
PARA HACER PROPAGANDA DE LA "OPA DE PT"EL SR. BELMIRO DE AZEVEDO.
SIEMPRE E PENSADO QUE ERA UN GRAN "DEPORTISTA" AHORA "NO".PORQUE
VEO QUE SUS INTENCIONES "NO" SON CLARAS Y CREO QUE "NO" ES "TRIGO
LIMPIO".
TENGO "PENA,TRISTEZA Y DOLOR" POR LOS TRABAJADORES DE "PT" "NO" LES
PASE COMO A "MI PERSONA"Y LOS DESPIDA SIN AVISAR Y "NO" DARLES LO QUE LA LEY PORTUGUESA ORDENA.
ME EXPLICARE: YO SOY "PRODUCTO" DE LA "OPA DE TAFISA" TABAJABA EN
"INDUSTRIAS QUIMICAS DEL CARBONO"
VALENCIA-ESPAÑA COMO "ENCARGADO DE
MANTENIMIENTO" DURANTE MAS DE 30 AÑOS. Y FUI "DESPEDIDO" CUANDO EL
SR BELMIRO DE AZEVEDO "YA" HABIA
"ORDENADO" SU "VENTA". "CURIOSO".
EL SR. BELMIRO DE AZEVEDO "COBRO"
120.000 EUROS POR MI "DESPIDO" DE LA EMPRESA "COMPRADORA" "CURIOSO"
"MAS CURIOSO" EL SR BELMIRO "MANDO
UNA PERSONA A MI FABRICA,LA QUE AMABLEMENTE Y LOS "DOS SOLOS" ME
INVITO A QUE "FIRMARA MI DESPIDO Y
RENUNCIA A 120.000 EUROS" AL "NO"
"CONSEGUIRLO". COMENZO EL "CHANTAGE
EXTORSION,AMENAZAS Y ENGAÑOS CON
TRAMPAS Y MENTIRAS A LA VEZ DEBIA
DE HACERLO PARA BIEN DE LOS COMPAÑEROS,LA EMPRESA Y EL SR BELMIRO DE AZEVEDO.CLARO QUE ¿VOLUNTARIO ? "CUANTA HIPOCRESIA".
CONSIGUIO QUE "FIRMARA MI DESPIDO Y RENUNCIA A 120.000 EUROS" CLARO QUE CON "METODOS" DICTATORIALES
PROPIOS DE HITLER , FRANCO ETC
RECURRI A UN ABOGADO Y ME DIJO QUE LA JUSTICIA ESPAÑOLA "NO" PODIA HACER "NADA" PORQUE HABIA
"FIRMADO""VOLUNTARIO" MI RENUNCIA A 120.000 EUROS Y MENOS CON LOS ABOGADOS DEL SR BELMIRO QUE SON LOS MEJORES DE ESPAÑA.
ME ACONSEJO QUE ME DIRIGIERA AL SR BELMIRO PARA "VER" SI RECONOCIA SU "ERROR".
ES COMO "SOÑAR EN PAJARITOS" EL SR BELMIRO "NO" QUIERE SABER NADA Y ES "NORMAL" "EN EL"."PORQUE UNA PERSONA QUE TIENE UN "CORAZÓN DE
HIELO" Y "AMA" AL "DINERO" VENGA DE DONDE VENGA Y SIN IMPORTARLE LOS
"METODOS" NI "FORMAS" PARA CONSEGUIRLO. ES UNA LOCURA DIRIGIRSE A EL Y MÁS AHORA QUE TIENE LA "OPA DE PT" QUE NECESITA
MUCHAS MAS PERSONAS COMO YO PARA PODERLA PAGAR.
SOLO ESPERO DEL SR "BELMIRO DE AZEVEDO" QUE SIGA CON EL DEPORTE Y QUE DEJE ,DE EXPRIMIR MAS A LOS
"TRABAJADORES"PORQUE ESO ES INJUSTO
E INDIGNO DE UNA PERSONA QUE SEA
HONRADA Y DIGNA A LA VEZ QUE TENGA SENTIDO DE LA "JUSTICIA".
GRACIAS POR PUBLICAR MI COMENTARIO
ATENTAMENTE

MIGUEL MARTINEZ DEVESA

11:56 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home