quinta-feira, março 03, 2011

Bolsa de Investigação

Bolsa de Investigação no âmbito do projecto UTA-Est/MAI/0012/2009, 2009-2011 - iDTV-SAÚDE: na área de Serviços Inclusivos de Promoção da Saúde e Bem-estar via Televisão Digital Interactiva

Encontra-se aberto concurso para a atribuição de 1 Bolsa de Investigação no âmbito do projecto UTA-Est/MAI/0012/2009, 2009-2011 - iDTV-SAÚDE: na área de Serviços Inclusivos de Promoção da Saúde e Bem-estar via Televisão Digital Interactiva, /Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias/CICANT/Universidade Nova de Lisboa/CIES, financiado por fundos nacionais através da FCT – Fundação Ciência e Tecnologia, nas seguintes condições:

Área Científica: Ciências da Comunicação

Requisitos de admissão: Licenciatura ou Mestrado em Sociologia, Licenciatura ou Mestrado em Ciências da Comunicação, Licenciatura ou Mestrado em Psicologia.



Plano de trabalhos: Gestão e desenvolvimento de actividades de investigação diversas no âmbito do Projecto UTA-Est/MAI/0012/2009, 2009-2011 - iDTV-SAÚDE, com os seguintes requisitos: Capacidades de organização e gestão de actividades de investigação; Bons conhecimentos de inglês; Domínio do SPSS/PC, com boas bases de estatística. Privilegia-se experiência anterior de pesquisa no terreno na área da comunicação e media, incluindo técnicas quantitativas (produção de informação estatística, desenvolvimento de processos de inquirição, análise univariada, bivariada e multivariada de dados estatísticos).



Legislação e regulamentação aplicável: Lei Nº. 40/2004, de 18 de Agosto (Estatuto do Bolseiro de Investigação Científica); Regulamento da Formação Avançada e Qualificação de Recursos Humanos 2010.



Local de trabalho: O trabalho será desenvolvido no CICANT - Centro de Investigação em Comunicação Aplicada, Cultura e Novas Tecnologias da Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Av. Campo Grande, 376, 1749-024 Lisboa sob a orientação científica da Professora Doutora Rita Espanha.



Duração da(s) bolsa(s): A bolsa terá à duração de 9 meses, com início previsto em 4 de Abril de 2011.



Valor do subsídio de manutenção mensal: O montante da bolsa corresponde a € 980, para Mestres ou 745€, para Licenciados, conforme tabela de valores das bolsas atribuídas directamente pela FCT, I.P. no País (http://alfa.fct.mctes.pt/apoios/bolsas/valores).



Forma de publicitação/notificação dos resultados: Os resultados finais da avaliação serão publicitados, através de lista ordenada alfabeticamente afixada em local visível e público do CICANT, Av. Campo Grande, 376, 1749-024 Lisboa, sendo o candidato(a) aprovado(a) notificado através de email.



Prazo de candidatura e forma de apresentação das candidaturas: O concurso encontra-se aberto no período de 1 de Março de 2011 a 23 de Março de 2011.

As candidaturas devem ser formalizadas, obrigatoriamente, através do envio de candidatura acompanhada dos seguintes documentos: Carta de Apresentação, Curriculum Vitae e cópia do Certificado de Habilitações. As candidaturas deverão ser entregues para o seguinte email: carla.ales@ulusofona.pt





******************
Madalena Oliveira
Departamento de Ciências da Comunicação
Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade
Instituto de Ciências Sociais | Universidade do Minho
Communication SciencesDepartment
Communication and Society Research Centre
Institute of Social Sciences | University of Minho
4710-057 Campus de Gualtar - Braga | Portugal

Telefone directo: 253.604295
E-mail: madalena.oliveira@ics.uminho.pt

sábado, fevereiro 05, 2011

RECRUTAMENTO DE DOCENTES

[A pedido do Prof. Joaquim Paulo Serra, Presidente da Faculdade de Artes e Letras da UBI, divulga-se a seguinte informação:]



Recrutamento de docentes

DOUTORES



Aceitam-se candidaturas de titulares do grau de Doutor para o Departamento de Comunicação e Artes, na área de:



Cinema – (Teoria, História, Estética) – a um lugar de Professor Auxiliar Convidado a tempo parcial, no âmbito da docência e investigação.



As candidaturas devem ser apresentadas, até 28 de Fevereiro de 2011, dirigidas ao Reitor da Universidade da Beira Interior, e entregues pessoalmente ou remetidas por correio, com aviso de recepção, para Serviços Académicos da Universidade da Beira Interior (Sector de Concursos e Actos Académicos), Rua Marquês d'Ávila e Bolama, 6201-001 Covilhã, até ao termo do prazo fixado. Deverá ainda ser enviada uma cópia da candidatura, em formato digital, para o endereço electrónico fredericonuno@gmail.com



Critérios de selecção e ordenação dos candidatos:



a) Habilitação académica no domínio do Cinema;

b) Experiência docente no ensino superior;

c) Investigação em Cinema Português;

d) Avaliação de dois artigos científicos publicados pelos candidatos;

e) Análise curricular;

f) Entrevista.



Do requerimento de admissão da candidatura deverão constar os seguintes elementos:



a) Nome completo;

b) Residência e número de telefone;

c) Curriculum Vitae com áreas de interesse preferenciais, os graus académicos, conhecimentos de línguas, experiência profissional e/ ou artística;

d) Publicações e/ ou Portfolio;

e) Dois artigos científicos publicados, de sua autoria, para avaliação.



A Universidade da Beira Interior garante, nos termos legais, a confidencialidade da documentação pessoal recebida, a cuja devolução se obriga se expressamente solicitada no requerimento. A instituição ponderará, caso a caso, o perfil académico-profissional dos interessados face às necessidades do Departamento, mantendo a liberdade de contratação e a reserva de não o fazer, independentemente da ponderação que vier a ser feita, não consubstanciando, por isso, a presente publicação a abertura de qualquer concurso.



******************
Madalena Oliveira
Departamento de Ciências da Comunicação
Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade
Instituto de Ciências Sociais | Universidade do Minho
Communication SciencesDepartment
Communication and Society Research Centre
Institute of Social Sciences | University of Minho
4710-057 Campus de Gualtar - Braga | Portugal

Telefone directo: 253.604295
E-mail: madalena.oliveira@ics.uminho.pt

terça-feira, fevereiro 01, 2011

VINHO

Palestra Tinto 2008

Este vinho atingiu 89 pontos na classificação da revista Wine Spectator!

Nota de prova: A Touriga Franca e a Tinta Barroca dão-lhe complexidade e a Tinta Roriz confere-lhe estrutura. É um vinho suave, elegante e com aromas de ameixas.

Preço: 3,50 € / GRF
Excelente relação qualidade/preço!

Disponível no nosso site
www.viniturismo.com

enviado por Viniturismo




ViniTurismo Colusa, Lda
Av. de Berna, nº35 3º D
1050 - 038 Lisboa - Portugal
T. +351 21 793 8586
F. +351 21´797 8625
Email: josequeimado@viniturismo.com

ESCRITA

CHAMADA DE ARTIGOS

Revista Comunicação e Sociedade, nº 20

“Rádio na frequência da WEB”

Coordenadores: Madalena Oliveira e Pedro Portela

Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade

Universidade do Minho – Portugal

http://www.comunicacao.uminho.pt/cecs/

Data-limite: 30 de Abril de 2011

Todas as informações necessárias disponíveis no link:

http://tinyurl.com/5wafau2


Vítor de Sousa
Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade
http://www.comunicacao.uminho.pt/cecs
Universidade do Minho
Campus de Gualtar
4710-057 Braga-P
Tel: +351.253.604.695

segunda-feira, janeiro 31, 2011

OS TELEMÓVEIS NO FEMININO

"Os telemóveis não são feitos femininos mas antes tornam-se femininos"

Carla Ganito
22 Fevereiro 2011, 18h30, Sala Multiusos 2, 4º piso Ed. ID-FCSH (Av. Berna 28)

Resumo:
Nos últimos anos, a mobilidade tornou-se o contexto de vida e dessa forma é necessário construir um entendimento das questões de género à luz desse enquadramento. Se a sociedade é co-produzida com a tecnologia, o efeito das questões de género não pode ser ignorado no design, desenvolvimento, inovação e comunicação dos artefactos tecnológicos como o telemóvel. O que torna os telemóveis uma tecnologia interessante do ponto de vista do género é que, ao contrário de outras tecnologias como os computadores e a Internet, eles têm sido adoptados ao mesmo ritmo por homens e mulheres. No entando, a paridade na adopção esconde as nuances dos usos qualitativos.


A apresentação irá descrever os resultados da investigação de douramento sobre a relação das mulheres Portuguesas com o telemóvel. De que forma este artefacto tecnológico é incorporado nas suas vidas e que diferentes papéis representa. Os temas desta investigação estão no cruzamento dos estudos feministas, estudos de culturas e novos media, procurando contribuir com uma perspectiva feminista para o debate sobre o significado social do telemóvel e colmatar assim uma lacuna face à escassez de estudos sobre as questões de género no âmbito das comunicações móveis.

Biografia:
Carla Ganito é assistente na Universidade Católica Portuguesa nas áreas da comunicação digital, marketing e organização e sistemas de informação. É investigadora do CECC e do CIMJ. Tem MBA e mestrado em gestão de informação e desenvolveu a sua tese de doutoramento, que concluiu em Janeiro de 2011, em ciências da comunicação sobre questões de género e tecnologia, nomeadamente os usos do telemóvel. Os seus temas de investigação são os novos media, género e tecnologia, tecnologia e educação, entretenimento e comunicações móveis. É a autora do livro: "O telemóvel como entretenimento" (Paulus, 2007).

recebido de Ana Jorge, CIMJ

terça-feira, maio 04, 2010

O PARLAMENTO E OS PROJECTOS FERROVIÁRIOS

Os desentendimentos sobre os futuros grandes projectos ferroviários são, numa larga medida, devidos a os intervenientes que a eles se referm, economistas, jornalistas e políticos mal informados, falarem , quase exclusivamente, da rentabilidade dos comboios TGV. É, com efeito, totalmente errado por a rentabilidade destes comboios no centro da discussão.

O país tem uma rede ferroviária do século XIX , inicialmente construida com uma bitola igual à espanhola (bitola ibérica), diferente da europeia.(standad). A Espanha, mantendo embora em funcionamento algumas linhas de bitola ibérica, iniciou, aceleradamente, a construção de uma rede de linhas de bitila standad que a ligará a França. Dentro de alguns anos, se não fizermos o mesmo, seremos uma ilha ferroviária, o que será desastroso para a nossa Economia.

Temos, assim, simultaneamente, de criar uma nova rede de bitola europeia enquanto mantemos em funcionamento a antiga. O problema é complexo, mas pode ser resolvido dum modo progressivo com bom senso e com equilíbrio.

Diga-se, desde já, que a situação futura será muito mais benéfica para nós. Com as novas linhas, os nossos comboios de mercadorias poderão circular até à Polónia. Actualmente, não passam os Pirineus e, se nos atrasarmos, deixarão de atravessar a nossa fronteira.

A linha de bitola europeia de Madrid a Lisboa será um dos futuros grandes eixos ferroviários da Penínsulo ibérica. Esta linha servirá para o transporte de mercadorias, para o trânsito de velocidade média e baixa de passageiros e, ainda, adicionalmente, para comboios TGV. O transporte de mercadorias é, como dissemos, absolutamente vital para nós – esta linha será a nossa primeira grande abertura ferroviária para a Europa. O transporte a passageiros a média e baixa velocidade vai contribuir para o desenvolvimento do Norte do nosso Alentejo, da Estremadura espanhola e de algumas das zonas mais pobres de Espanha. Os comboios TGV serão, também, importantes, mas é errado, como dissemos, justificar, ou tentar regeitar, a construção desta linha pensando só na sua rentabilidade.

A linha de Madrid a Lisboa, chegará, um dia, a Lisboa cidade. Mas, no imediato, ela deve ser entendida como uma linha de Madrid à Área Metropolitana de Lisboa. A travessia ferroviária do Tejo é uma obra caríssima, com estudos que pouco mais são, actualmente, do que meros esboços e que são, desde já postos, em causa por inúmeros técnicos. Tal como está proposta pela RAVE, esta rravessia, comprometeria gravemente todo o nosso futuro ferroviário.

Não iremos, certamente, construi-la nos próximos anos, por razões técnicas e financeira. Os espanhois compreendem- no perfeitamente. Mas o interesse deles, e o nosso, é o de, o mais rapidamente possivel, por em funcionamento a linha vinda de Badajoz. No nosso caso, por causa das mercadorias.

Compreende-se, assim, a insistência do governo em avançar com o troço da linha de Caia (Badajoz) à plataforma logística prevista no Poceirão ( a entrada na Península de Setubal). Este projecto, exige, no entanto, alguns pequenos correctivos, perfeitamente conciliáveis com a sua construção a muito curto prazo.

Em primeiro lugar, há que dizer que não tem sentido fazer terminar uma linha destinada, entre outros, a comboios de alta velocidade numa plataforma logística. A linha a construir deve ir até à estação do Pinhal Novo onde passam actualmente os comboios da Fertagus para Lisboa e Setubal, e da CP para o Algarve.

Com este acrescento, de pouco mais de 15 km, a nova linha pode ser utilizada por comboios de passageiros, inclusivé comboios TGV. O Pinhal Novo é, de facto, um dos pontos mais acessíveis em toda a Área Metropolitana de Lisboa. Para os passageiros vindos de Cascais, por exemplo, a estação do Pinhal Novo é mais acessível do que a do Oriente. Com um pequeno custo adicional, a linha de Caia ao Pinhal Novo, tem, assim, um imenso interesse para nós e para os espanhois.

No que diz respeito às mercadorias, a construção de uma plataforma logística no Poceirão tem todo o sentido, mas não é necessário que a ela cheguem comboios TGV. O necessário é que nela convirjam linhas e ramais de bitola ibérica e europeia de várias origens e de ligação às nossas antiga e futura redes ferroviárias.

Em particular, terá todo o sentido construir uma linha de bitola europeia, e de baixa velocidade de Sines ao Poceirão. O que não tem sentido nenhum é construir uma linha de bitola ibérica de Sines a Évora.

António Brotas

Professor jubilado do IST e membro da Secção de Transportes da Sociedade de Geografia de Lisboa

quarta-feira, abril 21, 2010

Crise no Jornalismo Soluções para a Profissão

Numa altura em que a Internet alterou a forma de obter informação e os jornais digitais são mais procurados que os impressos, nos Estados Unidos e em breve por todo o mundo, jornalistas e empresas de comunicação social lutam para sobreviver às mudanças e novos desafios implicados no exercício da profissão. É essencial perceber porque está o jornalismo em crise e que soluções podemos projectar para o salvar.


Carla Baptista, professora e jornalista freelancer, Paulo Pena, jornalista da Visão, e Ricardo Rodrigues, jornalista da Notícias Magazine, prepararam um curso que decorrerá no próximo mês de Maio, aos sábados de manhã, na Universidade Lusófona, destinado a todos os estudantes e profissionais de comunicação social.


Com a duração de 14 horas, estruturado em oito sessões, o curso aborda os valores fundamentais e a legitimidade social da profissão, os impactos e as respostas aos novos desafios tecnológicos, a necessidade de resgatar o jornalismo de investigação e restaurar a credibilidade junto do público, entre outras estratégias para melhorar a prática jornalística e, por inerência, a qualidade da democracia e da participação cívica no mundo contemporâneo.

Sábados de Manhã na Universidade Lusófona (Campo Grande)
Dias: 8, 15, 22 e 29 de Maio
Custo da Inscrição: 50 euros*
Mais informações e inscrições: jorge.bruno@ulusofona.pt


Recebido de Carla Baptista

Não Apaguem a Memória! – NAM

Convocatória
A direcção do NAM convoca todos os associados e apoiantes da Associação Movimento Cívico Não Apaguem a Memória! – NAM a participar no dia 25 de Abril de 2010 na cerimónia de descerramento-inauguração da placa informativa da localização da ex-sede da PIDE-DGS, na Rua António Maria Cardoso, organizada pelo Movimento Não Apaguem a Memória! – NAM em cooperação com a Câmara Municipal de Lisboa.
Este acto de importante significado para a Memória da luta pela liberdade é precedido por um mini roteiro da Memória com o desenvolvimento seguinte:
Ponto de encontro: Largo do Município, em Lisboa (17.00H)
1º Ponto do roteiro: Rua do Arsenal (Salgueiro Maia: 25 de Abril)
2º Ponto: Largo da Boa Hora (Tribunais Plenários)
3º Ponto: Rua Capelo (Rádio Renascença: 2ª senha “Grândola, Vila Morena)
Chegada e 4º Ponto: Rua António Maria Cardoso (ex-sede da PIDE), às 17.45H
No percurso serão evocados acontecimentos históricos e no final haverá uma breve intervenção do historiador, conhecido lutador anti-fascista e ex-preso político José Manuel Tengarrinha.
Este importante acto de preservação da Memória surge na sequência da luta do NAM pela recolocação da placa evocativa dos cidadãos mortos pela PIDE-DGS no dia 25 de Abril de 1974, na fachada do condomínio privado de luxo que substituiu a sede da PIDE sem que as autoridades então cuidassem, como era seu dever cívico, da preservação do património histórico da luta pela Liberdade.
O historial dessa luta do NAM em torno da Placa e que no seu desenvolvimento deu origem a esta outra lápide que assinalará a ex-sede da PIDE é, tal como consta no relatório de actividades do NAM, o seguinte:
A placa evocativa das últimas vítimas da PIDE/DGS, assassinados no dia 25 de Abril de 1974, afixada por um grupo de cidadãos na ex-sede daquela sinistra polícia política, para lembrar a memória dos jovens que ali sucumbiram, foi retirada, no início das obras de transformação daquele local em condomínio privado de luxo.
Concluída a obra e constatada a não colocação da placa, o Movimento Cívico Não Apaguem a Memoria! (NAM) contactou o responsável pelo condomínio privado (GEF) para exigir a recolocação da placa no local de origem. Numerosos foram os protestos, muitos deles publicados no blog Caminhos da Memória, e registámos mais de duas mil adesões à causa organizada no Facebook para retorno da placa ao seu local de origem. A placa foi então recolocada mas em local de muito pouca visibilidade.
Esta situação desencadeou uma nova onda de protestos que culminaram com uma carta enviada pela direcção do NAM ao presidente da CML, António Costa, a cada um dos vereadores e à presidente da Assembleia Municipal, Simonetta Luz Afonso, para protestar pelo desrespeito à memória de tantas portuguesas e portugueses que lutaram pela Liberdade.
Na sequência desta carta, a vereadora da cultura da CML, Drª. Catarina Vaz Pinto, propôs, no final do passado mês de Fevereiro, uma reunião com a nossa direcção para discutir esta questão.
Nesta reunião o NAM voltou a defender que a placa evocativa das últimas vítimas da PIDE fosse colocada em local de maior visibilidade, após serem avivadas as letras dos nomes dos mortos cuja tinta desaparecera.
Na sequência desta reunião a vereadora da cultura fez-nos chegar a informação de que a CML aceitava a sugestão do NAM de que o edifício da PIDE/DGS fosse sinalizado no espaço público.
Mais recentemente, foi-nos solicitado que propuséssemos um pequeno roteiro, com indicação de alguns pontos que recordassem momentos significativos da liberdade conquistada, em Abril de 74, e que culminaria com o descerramento da lápide de sinalização da ex-sede da PIDE/DGS, no dia 25 de Abril, pelas 17.45H, tal como acima indicado.
Fomos, também, informados de que as letras dos nomes das últimas vítimas da PIDE seriam reavivadas.
Lisboa, 20 de Abril de 2010
A Direcção do NAM

sábado, janeiro 30, 2010

LIVRO apresentação

Livro Memórias Vivas do Jornalismo
de Fernando Correia e Carla Baptista

José Rebelo e Miguel Gaspar apresentam na Livraria Barata, em Lisboa, no próximo dia 11 de Fevereiro, às 18h30, o livro Memórias Vivas do Jornalismo, da autoria de Fernando Correia e Carla Baptista. A Editora Caminho, a Livraria Barata e os autores convidam os sócios da SOPCOM a assistir a este lançamento.